Grupos e suas fantasias

Em momentos de stress corporativo algumas pessoas apóiam o estado de coisas e outras se revoltam, podendo ficar apáticas ou brigar por alguma coisa. Percebo que nestas crises todo mundo tem a sua visão do cenário e cria uma versão que lhe seja mais confortável, talvez, para suportar melhor a situação. Ao compartilharem as suas percepções, os membros do grupo vão construindo uma nova versão e, no final de tudo, a verdade está totalmente borrada. A vontade de se apegar em alguma esperança, mesmo que seja a de ver o circo pegar fogo, é tão grande que ocorre uma busca ávida por fontes de informações “confiáveis” que possam jogar luz sobre o picadeiro. Este cenário é comum e, em algumas organizações, bem frequente. Não há resiliência que resista: se cercar vira presídio e se cobrir vira circo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s